segunda-feira, setembro 03, 2018

Gaeco realiza operação para apurar possíveis irregularidades em contrato da Caravana da Transformação


A Caravana da Transformação, programa implantado pelo Governo de Mato Grosso em 2016, com objetivo de zerar as filas de cirurgias oftalmológicas em todo o estado, está sendo alvo de operação do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), nesta segunda-feira (03-09-18).
De acordo com o coordenador do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público, promotor de Justiça Mauro Zaque, o objetivo da operação é apurar “fatos graves na execução do contrato da Caravana da Transformação no tocante aos serviços ”.
Por outro lado, o secretário de Estado de Saúde (SES), Luiz Soares (foto), disse que, em ano eleitoral, é comum surgirem denúncias e que esta operação tem todos os ingredientes de ter cunho “eleitoreiro” e defendeu o programa. “São 70 mil pessoas que foram atendidas em todo o Estado de Mato Grosso, gente que estava com certeza perdendo a visão e essas 70 mil pessoas com certeza estão muito gratas. É um contrato antigo, de 2016, e que rodou esse tempo todo sem nenhuma visão de denúncia. Época de eleição acontece todo tipo de denúncia e acho que deva mesmo ser investigado”.
Na operação, autorizada pela juíza Célia Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, foram determinados também o bloqueio de bens de Luiz Soares e do proprietário da empresa 20/20, Fábio Vieira da Silva, localizada em Ribeirão Preto, responsável pelos procedimentos oftálmicos, além de buscas e apreensões, suspensão do contrato e do pagamento de qualquer valor à empresa.
A empresa 20/20 Serviços Médicos, de Ribeirão Preto (SP), recebeu R$ 42,9 milhões do Governo de Mato Grosso entre os anos de 2016 e 2018.

Na tarde desta segunda-feira, o Núcleo de Defesa do Patrimônio Público colherá depoimentos de pessoas envolvidas no caso.

0 comentários:

Postar um comentário