domingo, setembro 16, 2018

Simples ato de lavar as mãos previne até 40% dos casos de contaminação


De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o hábito de lavar as mãos pode reduzir aproximadamente 40% da contaminação por bactérias e vírus, que causam doenças como gripe, conjuntivite e outras viroses.
A prática é tão importante que foi adotada pela OMS como uma bandeira de combate à infecção hospitalar.
Uma das consequências da má higienização das mãos é o contágio por bactérias multirresistentes. Atualmente, cerca de meio milhão de pessoas pelo mundo sofrem de infecções por bactérias resistentes a antibióticos.
No Brasil, de acordo com dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), cerca de 25% das infecções são causadas por micro-organismos multirresistentes, isto é, aqueles que se tornam imunes à ação dos antibióticos.
Quando as bactérias se tornam resistentes aos remédios, praticamente não restam alternativas de tratamento, por isso o uso indiscriminado de antibióticos pode ser considerado um problema de saúde pública.
Estima-se que até 2050, caso nada seja feito, tais bactérias poderão matar anualmente cerca de 10 milhões de pessoas no mundo - número maior que a mortalidade por câncer, que atingirá cerca de 8,2 milhões por ano anualmente.

As infecções relacionadas com a assistência à saúde afetam mundialmente centenas de milhões de pessoas e têm um impacto econômico significativo nos sistemas de saúde, segundo dados da Organização Pan-Americana da Saúde. Em países desenvolvidos, representam de 5% a 10% das internações em hospitais de cuidados agudos. Nos países em desenvolvimento, o risco é de duas a 20 vezes superior e a proporção de pacientes com esse tipo de infecção pode exceder 25%.

Fonte: A TARDE

0 comentários:

Postar um comentário