sábado, setembro 22, 2018

Veja os destaques de jornais de circulação nacional - 22 de Setembro



O Globo
Paulo Guedes quer ‘superpoderes’ para partidos na Câmara
Principal assessor de Jair Bolsonaro (PSL), o economista Paulo Guedes defende a adoção de um sistema pelo qual a maioria dos deputados de uma sigla decida todos os votos do partido, se sobrepondo a escolhas individuais.  O objetivo seria facilitar a aprovação de projetos e garantir governabilidade, disse Guedes ao GLOBO. A ideia, rechaçada por especialistas, foi apresentada na reunião em que ele propôs a criação de imposto como a CPMF.  O economista disse ter acertado o mecanismo político com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que nega.

Delator: irmão de Ciro recebeu caixa dois em dinheiro
Executivo da Galvão Engenharia relata repasse de R$ 1,1 milhão a Lúcio Gomes, irmão de Ciro Gomes (PDT), em troca do pagamento de obras no governo do Ceará na gestão de Cid Gomes,outro irmão do presidenciável. Lúcio nega. 
       www.siqueiranews.com

O Estado de São Paulo
Planos de Bolsonaro e Haddad criam perda bilionária para o IR
As propostas das campanhas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) de alterar o Imposto de Renda da Pessoa Física(IRPF) implicariam perdas de arrecadação que seriam de R$ 69,3 bilhões e de R$ 38,7 bilhões. O maior impacto é da proposta do economista Paulo Guedes, ligado a Bolsonaro, que prevê acabar com as alíquotas mais altas do IRPF e isentar quem ganha até cinco salários mínimos.  Segundo estimativas do economista Sérgio Gobetti, do Ipea, na mudança sugerida por Guedes, 11,2 milhões de pessoas passariam a ficar isentas e 6,1 milhões pagariam menos imposto. Já a perda de arrecadação embutida na proposta de Haddad de isentar de imposto quem ganha até cinco salários mínimos é menor, mas também elevada. 
      www.siqueiranews.com

Folha de São Paulo
Bolsonaro defende assessor criticado por propor CPMF
Na primeira entrevista desde que sofreu um atentado a faca há duas semanas, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) defendeu seu guru econômico, Paulo Guedes, que criou polêmica ao defender uma espécie de CPMF (o chamado imposto do cheque) em palestra. “O Paulo segue firme”, disse a Igor Gielow, por telefone, sobre boatos de que o assessor poderia se afastar da campanha. Nesta sexta (21), Guedes cancelou uma série de eventos em que falaria sobre seus planos para a área econômica. Segundo o candidato, Guedes nunca defendeu a volta da CPMF, que esteve em vigência de 1997 a 2007. “Isso é uma distorção. Ele apenas está estudando alternativas. Tudo terá de passar pelo meu crivo”, afirmou. Bolsonaro falou por quatro minutos com a Folha de seu quarto no hospital Albert Einstein, onde se recupera de duas cirurgias.
      www.siqueiranews.com

Correio Braziliense
Metroviários se reúnem com GDF e podem suspender greve de segunda-feira
Os metroviários podem suspender a greve decretada para a próxima segunda-feira (24/9). Na manhã desta sexta-feira (21/9), o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10) mediou reunião realizada entre Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do Distrito Federal (SindMetrô/DF), a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) e o Governo do DF (GDF). As partes chegaram a um acordo inicial sobre as reinvindicações da categoria, porém, a proposta ainda está em análise. Neste sábado (22/9), o sindicato convocou uma assembleia para decidir se os funcionários vão cruzar os braços.  
       www.siqueiranews.com

O Dia
Justiça decreta prisão preventiva de sete milicianos de Caxias
O Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) decretou a prisão preventiva de sete milicianos de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O grupo foi denunciado pelo Ministério Público (MPRJ) pela tentativa de homicídio contra o dono de um depósito de gás localizado no bairro Jardim Primavera. O caso aconteceu no dia 9 de setembro do ano passado. Os acusados são Pedro Paulo da Silva Figueiredo, conhecido como Japonês; Elton de Souza Ignácio, o Elton da Macumba; Nilton Alves Soares da Silva, o Gordinho do Choque; Cirley Thales Fonseca dos Santos; Fernando da Fonseca Miranda; Guilherme de Souza Barbosa e Rodrigo de Souza Barbosa.
 

0 comentários:

Postar um comentário