quarta-feira, setembro 26, 2018

Votação da Previdência após eleição depende do próximo presidente


O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse nesta quarta-feira (26-09-18) que uma eventual votação da reforma da Previdência após as eleições dependerá da vontade do próximo presidente da República. "Além disso, não dá para apresentar novas emendas no plenário da Câmara dos Deputados. Já no Senado é possível realizar mudanças, mas isso depende da vontade do próximo presidente", avaliou.
Mansueto disse que o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, deseja fazer uma "transição excelente" com o próximo governo. "Estamos preparando uma série de trabalhos para entregarmos à nova equipe econômica do próximo presidente", afirmou.
Segundo ele, entre os temas que esses trabalhos abordarão estão questões que precisam ser equacionadas até o fim deste ano ou logo no começo de 2019, como, por exemplo alterações na Lei Kandir e a regulamentação da nova legislação sobre precatórios.

Questionado se participaria de um eventual governo dos candidatos Jair Bolsonaro (PSL) ou Fernando Haddad (PT), Mansueto respondeu que essa pergunta "não faz sentido". "Meu compromisso é com o ministro Guardia até o fim do ano", concluiu.

0 comentários:

Postar um comentário