sexta-feira, outubro 05, 2018

5 de Outubro – Dia da Ave; no Brasil abriga 1,7 mil espécias


Desde 1968, todo dia 05 de outubro é comemorado o “Dia da Ave”. A data comemorativa foi instituída pelo Decreto nº 63.234, de 12 de setembro de 1968, assinado pelo então Presidente Artur da Costa e Silva e já fixava o dia 5 de outubro como “Dia da Ave”.
 
O Decreto foi revogado pelo Decreto 9.675, de 03 de outubro de 2002, assinado pelo ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, que manteve a data em 5 de outubro e definiu também, atendendo exposição de motivos dos ex-ministros Euclides Scalco, Secretário Geral da Presidência da República, do ministro Paulo Renato, da Educação, e do ministro José Carlos Carvalho, do Meio Ambiente, que o símbolo do “Dia das Aves” é o Sabiá (Turdus rufiventris), considerada a Ave Nacional do Brasil, representando a fauna ornitológica brasileira.
 
Em poucos lugares do planeta um dia de comemoração à avifauna faria tanto sentido quanto no Brasil, país que abriga 1,7 mil espécies de aves, das 9 mil conhecidas pelo mundo, sendo considerado o terceiro com maior riqueza desses animais no planeta. Atrás apenas da Colômbia e do Peru, abriga quase 200 espécies endêmicas, isto é, exclusivas dos nossos ecossistemas.
 
As aves constituem um dos grupos de animais de mais ampla distribuição geográfica, estando representadas em praticamente todos os ambientes.
 
Muitas entidades, públicas e também da iniciativa privada, atuam na preservação de toda esta biodiversidade. Segundo a ONG Birdlife International, temos 122 espécies de aves ameaçadas de extinção no Brasil.
 
Há décadas várias espécies de aves vem sofrendo grandes impactos, seja pelo intenso tráfico de animais silvestres ou pelo desmatamento de grandes florestas. A perda do hábitat é um dos grandes fatores pelas inúmeras espécies estarem desaparecendo.
 
Integrar a conservação das aves ao desenvolvimento sustentável das populações é um enorme desafio. O início deste trabalho pode estar no estímulo à curiosidade e ao carinho das crianças pela natureza, por meio da educação ambiental.

Fonte: Centro de Educação e Cidadania Ambiental – CECA

0 comentários:

Postar um comentário