segunda-feira, novembro 26, 2018

Depressão será principal causa de afastamento do trabalho no mundo, diz OMS


A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um alerta sobre a depressão. De acordo com o documento da organização, a doença será o maior motivo de afastamento do trabalho no mundo, até 2020. No Brasil, cerca de 5,8% da população tem a doença, o que faz do país o campeão de casos na América Latina.

No Brasil, os casos de afastamento por doença do trabalho cresceram cerca de 25% entre 2005 e 2015, atingindo 181.608 pessoas, segundo informações publicadas no Anuário do Sistema Público de Emprego e Renda do Dieese, com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O impacto na economia mundial é de aproximadamente 1 trilhão de dólares por ano. Ainda de acordo com a OMS, existem 23 milhões de pessoas sofrendo com transtornos mentais e que necessitam de algum atendimento em saúde, correspondendo a cerca de 12% da população brasileira.

Com orientação do site Tua saúde, elencamos alguns sintomas da depressão e medidas que podem ser tomadas para combate-los

 1. Perda de energia e cansaço constante

A perda de energia e o desinteresse por atividades que antes eram interessantes e que davam prazer podem indicar depressão. Além disso, a falta de motivação para cozinhar, trabalhar ou conviver com os amigos também estão presentes devido ao cansaço constante.

2. Sensação de tristeza profunda

A sensação de tristeza profunda exagerada para a situação manifesta-se através de um rosto triste, olhos caídos, sem brilho e tronco curvado. É frequente ter crises de choro, prevalecendo pessimismo, sentimentos de culpa e baixa autoestima.

Além disso, devido à baixa autoestima, é normal ter sentimento de inutilidade e, por isso, isolar-se dos amigos e família e, em casos mais graves, quando se perde a esperança é normal pensar no suicídio.

3. Irritabilidade ou lentidão

Devido à tristeza profunda é comum manifestar irritabilidade, ataques de raiva e ansiedade, causando sintomas como tremores, gritos e suores de forma exagerada.

No entanto, em alguns momentos devido ao cansaço frequente e tristeza pode-se apresentar lentificação que afeta o pesamento e a fala.

Além disso, pode surgir dificuldade de concentração e perdas de memória, com momentos de enorme desconcentração que afeta o trabalho e a escola.

4. Dores no corpo

A depressão pode causar dor de cabeça, devido às noites mal dormidas e às alterações do humor. Além disso, pode ocorrer sensação de aperto no peito e peso nas pernas.

Também é frequente queda de cabelo, unhas fracas, pernas inchadas e dor nas costas e estômago, além de vômitos e tremores, que por vezes são efeitos colaterais dos remédios para tratar a depressão.

5. Problemas de sono e alterações de peso

É normal apresentar insônia, principalmente acordando de madrugada e não voltando a adormecer, acordando com muito cansaço e mal-estar.

Além disso, outro sintoma físico de depressão é a perda de mais de 5% do peso corporal sem razão aparente. Em alguns casos, pode ocorrer aumento de peso, manifestando especial desejo para comer doces.

Como é feito o diagnostico da depressão

Para diagnosticar a depressão é necessário ter pelo menos 5 sintomas, dos 9 que indicamos a seguir, que devem estar presentes durante pelo menos 2 semanas seguidas:

1.    Humor deprimido, que pode se manifestar por: tristeza, sentir-se vazio, sem esperança, choro fácil. Nas crianças a irritabilidade pode indicar depressão;
2.    Perda do prazer nas atividades que antes apreciava muito;
3.    Emagrecimento ou aumento do peso, perdendo pelo menos 5% do peso em apenas 1 mês, sem estar de dieta. Aumento ou diminuição do apetite na maior parte dos dias;
4.    Ter dificuldade para dormir, apresentando insônia ou ter excesso de sono, e dormir muitas horas, mesmo durante o dia;
5.    Pode sentir-se agitado ou, pelo contrário, com lentificação dos movimentos;
6.    Sentir-se sempre cansado e com falta de energia;
7.    Sentir-se inútil ou sempre culpado de tudo, de forma inapropriada;
8.    Dificuldade de concentração e de tomar decisões;
9.    Ter pensamentos de morte, como ter medo de morrer ou pensar em suicídio, ou mesmo tentativa de suicídio anterior. 
O diagnóstico é feito pelo psiquiatra que precisa de conversar com o doente e com a família. O médico também deve indicar a gravidade da depressão, como sendo leve, moderada ou grave, para adequar o tratamento. 

Tratamento para depressão

O tratamento para depressão pode ser feito com a ingestão de antidepressivos, como Amitriptilina, Lexapro, Fluoxetina e Pondera, porém também pode ser necessário suplementação de vitamina B6 e ômega 3. O médico também pode recomendar o uso de ansiolíticos para dormir melhor e controlar a ansiedade, como Alprazolam.

Além dos medicamentos receitados pelo médico é importante adotar novos hábitos de vida, como praticar atividade física regularmente, alimentar-se de forma adequada, ingerindo muitos vegetais e frutas porque são ricos em vitaminas e minerais, como banana ou tomate, por exemplo. 


Fazer sessões de psicoterapia com um psicólogo experiente é fundamental porque ajuda a desenvolver estratégias para aumentar a autoestima, vencer a angústia e controlar a ansiedade. O tratamento tem de ser feito durante pelo menos 6 meses e mesmo que os sintomas já não estejam presentes é fundamental manter o tratamento para evitar recaídas.

Fontes: OMS e TuaSaúde
 

0 comentários:

Postar um comentário