quarta-feira, janeiro 16, 2019

Necessidade de Reforma Íntima - Caroline Secundino Treigher


O problema é que a maioria de nós é tomado por um mal terrível chamado preguiça. Quando feridos por uma crise queremos ser curados, mas não nos curar; queremos ser evoluídos, mas não nos evoluir.

Então nasce a frustração. É comum encontrar alguém dizendo: "Faz tempo que me trato desse problema, já procurei vários psicólogos, mas nenhum me ajudou." Ou então: "Já fui na Igreja Católica, Evangélica e agora até no Centro Espírita, mas nenhuma religião resolve meu problema." Por quê? Por que não tem jeito? Por que é um caso perdido? Não. Provavelmente porque tem algo que precisa ser mudado e não é, simplesmente porque a única pessoa que pode fazê-lo não é o médico ou o psicotrópico ou o psicólogo, mas o próprio doente. Todos estes facilitadores não vão fazer o que a própria pessoa não se dispõe a fazer: olhar para si mesma. Eles serão como os apóstolos tentando resolver o problema, em vão!

Claro que Jesus curou, mas o que ele costumava dizer quando fazia uma crua? "A tua fé te curou!" E ali ele tirou o espírito do momento, mas se o garoto não se modificar, se sua família não der a devida assistência, o que vai acontecer? O próprio Cristo responde:

Quando um espírito espírito imundo tem saído do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso  e não o encontra. Então diz: "Voltarei para minha casa, de onde saí." E, voltando, acha-a desocupada, varrida e adornada. Então vai e leva consigo outros sete espíritos piores que ele e, entrando, habitam ali; e são os últimos atos desse homem piores que os primeiros. (Mateus 12:43-45).

Em outras palavras, quando o uso da medicação, quando uma intervenção externa - que pode ser um profissional ou uma ajuda religiosa -, alivia o sintoma e faz a pessoa melhorar, se ela não aproveitar este momento para revisar a si mesma e ocupar sua casa mental com conteúdos que evitem uma recaída, o problema ressurgirá. E ao ressurgir, poderá ser pior do que era antes da primeira intervenção.

Simplesmente porque não se deita vinho novo em odre velho! Se o doente quer uma nova vida, torne-se ele um novo ser vivente! É o que na doutrina Espírita chamamos de Reforma Íntima, a mudança essencial. Uma mudança profunda, que não é fácil nem rápida, porque significa modificar hábitos, rever valores, quebrar paradigmas. Entretanto, não há outro caminho. Disse Jesus: "Ninguém vai ao Pai senão por mim". Ele foi a personificação de seu Evangelho, que é um convite ao Bem. Somente quando aceitarmos este convite, e nos vestirmos de acordo com a festa que nos é dada, é que poderemos, como na parábola do festim de bodas, sentar no Reino de Deus e brindar à felicidade!

Caroline Secundino Treigher é psicologa e espírita de berço e desde os 16 anos dá palestras da doutrina. Hoje atua como trabalhadora no Grupo Espírita Paulo e Estêvão, em Fortaleza, no Ceará. 

0 comentários:

Postar um comentário