quinta-feira, agosto 15, 2019

Manual orienta mulher da importância do ácido fólico



Você sabia que a gestante tem um dia só pra ela?
E é hoje!O dia é só delas. 15 de agosto é dia das barrigudinhas!
Essa data é comemorada desde 2001, quando o governador de São Paulo, na época, instituiu o dia 15 de agosto como o Dia da Gestante, de acordo com a Lei 10822/01. De lá pra cá, cidades e estados foram aderindo, aos poucos, a essa proposta de dedicar um dia inteiro para discutir a saúde das futuras mamães. 

Entre os muitos temas, dentro do ciclo de interesses da gestantes, está um que é pouco esclarecido: a ingestão do ácido fólico.

Com o objetivo de reduzir em até 85% a incidência de malformação do tubo neural (estrutura embrionária que dá origem ao cérebro e à medula espinhal), a Federação Brasileira de Associação de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) colocou a disposição da população, há muito tempo - apesar da pouca procura, uma cartilha com recomendações para a prevenção do problema.

A ideia é incentivar que mulheres em idade fértil, com vida sexual ativa e que não utilizam nenhum método contraceptivo passem a tomar 400 microgramas de ácido fólico diariamente por pelo menos 30 dias antes da concepção e até o final do terceiro mês de gestação.
De acordo com a Comissão Especializada em Medicina Fetal da Febrasgo, de 50% a 60% das mulheres no Brasil engravidam sem planejar e apenas cerca de 10% a 15% utilizam o ácido fólico antes de descobrirem que estão grávidas. 

O dado é preocupante, já que a formação e o fechamento do tubo neural acontecem entre o 17.º e o 30.º dia após a concepção, geralmente antes do diagnóstico clínico ou laboratorial da gestação. “Para todas as gestantes preconizamos uma dose diária de 400 microgramas de ácido fólico e apenas para gestantes de alto risco a dose deve ser 10 vezes maior”, explica o site da Febrasgo.

A quantidade indicada pela Organização Mundial da Saúde e defendida pelos médicos é de 0,4 miligrama por dia de ácido fólico para a prevenção de ocorrência dos defeitos do tubo neural. 

O ácido fólico previne outras alterações também como doenças do coração, do trato urinário e fissura lábio-palatina. Para a mamãe, a vitamina traz benefícios como prevenir doenças cardíacas, certos tipos de câncer e anemia.



Alimentos Fortificados

Ácido fólico é encontrado em alimentos fortificados. Quando você vê grãos “enriquecidos”, isso indica que acido fólico foi adicionado. Alimentos enriquecidos incluem aveia instantânea, arroz, pão, macarrão, aveia grossa, pretzels e itens com farinha de trigo enriquecida, tais como tortilhas de trigo, biscoitos doces e de água e sal. Cereais são uma excelente opção para trazer ácido fólico para a sua dieta. Cereais para o café da manhã possuem de 100 a 400 microgramas de ácido fólico por porcão. Verifique sempre o rótulo nutricional para saber se o alimento possui ácido fólico. A maioria dos alimentos importados não o tem.

Alimentos Naturais que Possuem Folato

A forma natural de folato não é absorvida pelo corpo com a mesma facilidade que a forma sintética, o ácido fólico. Alimentos ricos em folato possuem uma composição única que fornece ao corpo melhores fontes de vitaminas, minerais e muita fibra. Esses alimentos são também de baixo teor de gordura e sódio, e não têm colesterol. Alimentos ricos em folato incluem espinafre, couve, folhas de mostarda, brócoli, folhas de nabo, amendoim, feijão fradinho, feijão preto, feijão branco, feijão vermelho e feijão carioca. Outros alimentos que fazem bem ao corpo que possuem folato são abacates, aspargos, suco de laranja, laranjas e morangos.
Solimar Siqueira

Fontes: Guia do bebê e Febrasgo

0 comentários:

Postar um comentário