terça-feira, dezembro 11, 2018

Receita Federal cobra R$ 69 milhões de Neymar; defesa do jogador contesta


A Receita Federal cobra mais de R$ 69 milhões do atacante Neymar em impostos e multas decorrentes ainda do processo que acusa o jogador de sonegar tributos no Brasil durante sua transferência do Santos para o Barcelona, em 2013. O valor é resultado do cálculo feito pelo órgão após decisão do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais).
Em 2015, as autoridades autuaram o atleta em R$ 188 milhões ao apontarem supostas irregularidades no recolhimento de impostos na transação que o levou do clube brasileiro ao espanhol, que pagou de forma parcelada 40 milhões de euros à empresa do pai de Neymar.
O montante da transação foi tributado duplamente, na Espanha e no Brasil: no primeiro, como pessoa física, e no segundo, como pessoa jurídica, cuja alíquota é menor (17%). O Carf entendeu que a tributação deveria considerar a alíquota de pessoa física (27,%), porque o pagamento tinha natureza salarial. Nessa diferença, não teriam sido declarados mais de R$ 60 milhões, sobre os quais incidem ainda multa de 150% e juros.
A defesa do atacante, hoje no Paris Saint-Germain, da França, sempre negou as infrações e recorreu ao Carf. Ela entende que a Receita Federal teria de levar em conta o imposto pago na Espanha para compensar a dívida no Brasil. A alegação dos advogados do jogador é de que o único débito pendente seria relativo a contratos de direitos de imagem com o Santos, algo na casa dos R$ 2,7 milhões, que, com as multas aplicadas, chegaria a R$ 8,7 milhões.

Em agosto do ano passado, os advogados de Neymar chegaram a anunciar à imprensa que os problemas dele com a Justiça brasileira estavam chegando ao fim, citando a intenção do pai dele de quitar a dívida com o Santos.

“Mutirão Limpa Nome SPC” da CDL tem seis pontos de atendimento e termina nesta sexta-feira


Segue até a próxima sexta-feira (14-12-18) o “Mutirão Limpa Nome SPC” realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL Cuiabá) que está com atendimento itinerante na Praça Alencastro. Quem passar pelo local poderá aproveitar e consultar o CPF para saber se está com algum tipo de restrição. O serviço segue sem intervalo de almoço.

De acordo com o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja, o objetivo do mutirão é a recuperação de crédito do cidadão que se encontra inadimplente já que são oferecidas condições especiais a juros baixos para quitação das dívidas dos consumidores, possibilitando a limpeza do nome junto ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e demais empresas de crédito.

“São mais de 25 empresas associadas ao mutirão que estão oferecendo condições de pagamento em até dez parcelas”, disse ele.

Segundo levantamento feito pela CDL, o número de inadimplentes em Cuiabá é de 248.934 pessoas, o que representa mais de R$ 565 mil em dívidas.



A campanha que está sendo realizada desde o dia 26 de novembro também possui outros seis pontos de atendimento da Capital e Várzea Grande: Sede da CDL Cuiabá - De segunda-feira a sábado, das 8h às 16h; CDL Itinerante Pedra 90 - De segunda-feira a sábado, das 10h às 18h; Goiabeiras Shopping - De segunda a sexta-feira, das 8h às 16h; Ganha Tempo CPA I - De segunda a sexta-feira, das 10h às 18h; Ganha Tempo Centro - De segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 18h; Ganha Tempo Várzea Grande Shopping - De segunda-feira a sexta-feira, das 10h às 18h.

Arsec diz que estudo aponta para R$ 4,10 a tarifa de ônibus em Cuiabá para o ano vindouro


A Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec) disse que a indicação de tarifa do transporte público em Cuiabá  de R$ 4,10 a partir de 2019 é resultado de uma pesquisa encomendado pelas empresas de transportes firecionda ao orgão municipal que regulamenta os serviço.

Caso seja acatado esse valor, o aumento corresponde a 6,7% da tarifa atual, que é R$ 3,85. Segundo a Arsec, o quantitativo obtido levou em conta a variação de todos os custos do transporte coletivo em Cuiabá, como os gastos com o óleo diesel, veículos, mão de obra, entre outras despesas.

Porém, a Arsec ressalta que o futuro valor é apenas uma sugestão, não significa o aumento definitivo da tarifa. Conforme a assessoria da Arsec, no dia 28 de dezembro, às 9h, na Prefeitura de Cuiabá, será realizada uma audiência pública para se debater o valor.

A tarifa sugerida pela Arsec e debatida na audiência pública será validada pelo Conselho Participativo Municipal, que ainda não tem data para se reunir.

O Conselho Participativo Municipal, formado por 36 membros, é um órgão superior de representação e participação da sociedade na Arsec, que exerce o controle social dos serviços públicos de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo, tratamento e destinação final de resíduos sólidos, transporte coletivo urbano e iluminação pública.

Com informações da assessoria

Para mudar o elenco, Flamengo quer tirar Felipe Melo do Palmeiras


O técnico Luiz Felipe Scolari pode ter de escalar o Palmeiras de 2019 sem o volante Felipe Melo. O novo presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, quer contratar o jogador para transformá-lo em símbolo de uma nova fase do elenco rubro-negro.
A princípio, o clube paulista não pretende colocar grandes empecilhos para uma negociação, mas existem dois entraves. O time carioca pretende uma liberação sem custos, opção descartada pelo Palmeiras. O segundo problema é o grande prestígio de Felipe Melo com a torcida, e a diretoria alviverde teme uma repercussão negativa.
Embora tenha sido titular na conquista do título brasileiro, Felipe Melo não é considerado imprescindível por Scolari. Em vários momentos, o treinador mostrou predileção por Thiago Santos, jogador igualmente eficiente na marcação e mais discreto. Além disso, o time contratou Matheus Fernandes, revelação do Botafogo.
Felipe Melo assinou com o Palmeiras sem custos de transação, mas com pagamento de luvas de R$ 8,4 milhões pagos até 2019. O volante tem mais um ano de contrato.
Na negociação, os cariocas apostam na identificação do jogador com o Flamengo, clube que defendeu no período de 2001 a 2003. Ao deixar a Inter de Milão, o jogador negociou com os cariocas, mas não chegou a um acordo financeiro.
 

Resumo de Novelas - 11 de Dezembro









MALHAÇÃO VIDAS BRASILEIRAS
Júnior deixa a ONG sem ser visto. Jade anuncia que decidiu fazer cirurgia plástica. Marli e Paulo apreciam o ensaio de Mel e Getúlio. Começa o show de talentos do Sapiência. Vagner e Flora conversam e a menina apoia as novas escolhas do rapaz. Júnior ameaça Soninha. Fabiana se apresenta e fica surpresa com o incentivo de Dandara. Soninha revela a Vagner que Júnior descobriu sobre o relacionamento dos dois.
www.siqueiranews.com

ESPELHO DA VIDA
Flávio alerta Padre Léo sobre Américo. Marcelo marca um encontro com Mariane. Sheila se insinua para Bola. Alain não gosta quando Daniela lembra que Cris fez o desenho de Danilo. Cris ouve Mariane falando dela para Josi e a confronta. Emiliano manda flores para Zezé e Abigail, e Lenita reclama com o homem na frente de Solange. Priscila conta para Flor sobre a visita que recebeu de Felipe. Alain beija Isabel.
 www.siqueiranews.com

O TEMPO NÃO PARA
Samuca deduz que Agnese possa ter se envenenado. Marino aceita a proposta de Dom Sabino no projeto de despoluição do Rio Tietê. Betina pede a Mariacarla que a mantenha informada sobre os passos de Livaldo. Lúcio visita Agnese no hospital e a ameaça. Betina deduz que Agnese se envenenou para escapar da cadeia. Betina afirma a Igor que eles devem mandar Agnese para fora do Brasil com documentos falsos. Agustina avisa a Carmen que não irá ao casamento de Marocas se ela estiver presente. Samuca mostra a Marocas o apartamento em que pretende morar com ela depois de casados.
www.siqueiranews.com

O SÉTIMO GUARDIÃO
Gabriel enfrenta Valentina. Clotilde decide falar com Valentina sobre a prisão de Luz. Lourdes Maria procura por Olavo. Gabriel ameaça Valentina. Machado mostra a Rita de Cássia a calcinha que roubou. Júnior vê o homem misterioso que o atacou na delegacia. Fabim observa Marilda. Gabriel visita Luz. Júnior propõe uma trégua a Gabriel. Machado manda Leonardo comparecer à delegacia. Mirtes ofende Stella. Marilda chega à casa de Valentina. João Inácio pede para conversar com Guilherme. 
www.siqueiranews.com

POLIANA
Mirela fica chateada por Luca Tuber convidar Gabriela para o concurso. Poliana convida Sr. Pendleton para assistir sua apresentação na escola. Vinícius percebe algo errado e tenta convencer Jeferson a se abrir com ele. Jeferson dá uma pulseira roubada de presente para Brenda. Glória tenta convencer Marcelo a não dar um passo maior na relação com Débora. Poliana e João ensaiam na casa de Marcelo e Débora. Raquel tenta convencer Mirela a dar uma chance para Vinícius. 
 www.siqueiranews.com

JESUS
Jesus chama apenas Pedro, Tiago Maior e João. Tiago Justo sente ciúmes ao ver Abel ao lado de Deborah. Herodíade e Caius se beijam às escondidas. Diana manda Barrabás deixar Adela em paz. Helena critica Abel. Adela questiona Barrabás. Pilatos avisa a Caifás que devolverá o corbã aos judeus. Gabriela se preocupa com João. Deborah questiona a atitude de Tiago Justo. Sula fala sobre a aproximação entre Sara e Cornélius. Jairo olha para Laila com malícia.
 www.siqueiranews.com

MINHA VIDA

Efsun conversa com Ates, que diz que está ali na festa a trabalho. Asim dá um tapa na cara de Arda na frente de todos por ele ter tratado Seçil mal. Ates chega à mansão com Efsun. Nuran pede a Bahar que jogue fora a aliança. Bahar quer saber qual é o segredo de Ates, ele conta que seus pais foram mortos a mando dos Atahan.
Click aqui para ver matérias na página inicial




Trabalhadores nascidos em dezembro podem sacar PIS nesta 5ª


O último saque do PIS deste ano será realizado na próxima quinta-feira (13-12-18). Os valores serão creditados aos trabalhadores nascidos no mês de dezembro. 

É possível consultar o valor a ser recebido no site da Caixa Econômica Federal. 

O valor do benefício varia de acordo com o tempo de trabalho do servidor. A quantia varia de R$ 80, para quem trabalhou apenas um mês no ano, e chega a um salário mínimo (R$ 954), para quem ocupou cargo com carteira assinada por 12 meses.

Diferentemente dos outros meses, não haverá saques do Pasep na data. Os saques retomam para o PIS e Pasep no dia 17 de janeiro de 2019. 

O PIS (Programa de Integração Social) é destinado aos funcionários da rede privada e é administrado pela Caixa Econômica Federal. 

As datas de saques do PIS são determinadas de acordo com o ano de nascimento do trabalhador, enquanto as do Pasep são de acordo com o número final do benefício. 

Horóscopo de hoje - 11 de Dezembro







Áries (21/03 a 20/04)
Saiba que existem fatores que fogem do seu controle, mas por meio da flexibilidade é possível fazer boas negociações ou expressar o seu plano de ideia.
www.siqueiranews.com

Touro (21/04 a 20/05)
É um dia favorável para tratar com cônjuge, clientes, sócios ou com uma pessoa importante, que influencia consideravelmente em suas metas atuais. 
www.siqueiranews.com

Gêmeos (21/05 a 20/06)
É favorável lidar com divulgações e estudos. Uma conversa é necessária para entender como é possível proceder com novas informações.
www.siqueiranews.com

Câncer (21/06 a 21/07)        
Você está decidido a conduzir mudanças essenciais ao seu desenvolvimento. Uma conversa o faz perceber novas abordagens sobre o campo afetivo e novas necessidades. 
www.siqueiranews.com

Leão (22/07 a 22/08)
Uma conversa com uma pessoa importante lhe traz entendimento sobre as mudanças que que estão por vir. Seja flexível para interagir com novas ideias e novas perspectiva sobre o mesmo assunto.
www.siqueiranews.com

Virgem (23/08 a 22/09)        
Uma pessoa próxima o auxilia a interagir com as relações de trabalho e lhe dá informações necessárias para conduzir a rotina. 
www.siqueiranews.com

Libra (23/09 a 22/10)
Você está em condições de fazer movimentos mais ousados e/ou que favorecem os seus talentos. Seja livre em sua atuação e entenda o momento atual.
www.siqueiranews.com

Escorpião (23/10 a 21/11)
Você toma a decisão de conversar com uma pessoa muito próxima, com o objetivo de colocar em movimento suas ideias. A conversa é ótima.
www.siqueiranews.com

Sagitário (22/11 a 21/12)
É um dia favorável para tomar decisões assertivas e que envolvem acordos e interações com pessoas próximas. Seja flexível a novas informações.
www.siqueiranews.com

Capricórnio (22/12 a 20/01)
É um dia de imprevistos e decisões importantes, que colocam em xeque os seus rendimentos materiais. Uma conversa é necessária para deixar claras as suas intenções
www.siqueiranews.com

Aquário (21/01 a 19/02)
Uma conversa o leva a compreender como é possível interagir com situações que fogem do seu controle e colocam os assuntos familiares ou com pessoas próximas em questão.
www.siqueiranews.com

Peixes (20/02 a 20/03)
Uma conversa em segredo ou assuntos que evidenciam os seus sentimentos são aflorados. É importante entender os processos pelos quais vem passando na vida emocional.

O bombardeio sobre o Supremo - Gaudêncio Torquato


Não há como negar o fato: a mais alta Corte do país tem sido alvo de polêmica, que abriga posicionamentos de seus membros, alguns considerados suspeitos de tomar decisões sob influência política ou por ligações de amizade com figurantes controversos da cena institucional. O fato é que o Supremo Tribunal Federal sofre um bombardeio não apenas de grupos e setores que se sentem incomodados por suas decisões, mas de cidadãos comuns, como nesse episódio envolvendo um advogado e o ministro Ricardo Lewandovski.

Após dizer que o Supremo “é uma vergonha”, o ex-presidente do STF perguntou se ele queria ser preso. A cena diz muito sobre a escalada crítica a que, nos últimos anos, tem sido submetida a tríade dos Poderes, a começar pelo Judiciário.

Quando se constata que a nossa mais elevada Corte já não figura como o sagrado altar da Pátria, respeitada pela sapiência de seus membros, reverenciada em tempos idos pela nobreza, dignidade e independência, virtudes inerentes à guardiã da Lei Maior, há de se concluir que graves distorções pairam sobre a vida institucional.

O acervo negativo tem muitas fontes, entre elas o processo de escolha dos magistrados, onde se observa viés político; a ausência de regulamentação de dispositivos constitucionais, que obriga o Supremo a adentrar o território legislativo; e, nos últimos tempos, a própria índole da instituição, que ganhou a imagem de poderosa corte criminal. Enxergar o STF como casa afamada pela condenação a perfis com foro privilegiado é, convenhamos, uma grave distorção.

Comecemos por aí. Desde o mensalão (Ação Penal 470), o Supremo cobriu-se com o manto de tribunal criminal por mais que sua ação tenha se estendido a outros importantes nichos temáticos. Mas o matiz político se adensou na esteira de ilações e inferências sobre condenações de figuras e partidos.

A polarização política que se acentuou, desde então, cuja marca mais forte pode ser vista no lema “nós e eles” (de autoria do lulo-petismo), acabou respingando em alguns membros da Suprema Corte. A Operação Lava Jato, em curso, ampliou o bombardeio crítico, e as decisões de altos magistrados têm sido inseridas em campos carimbados com as referências “simpatia” e “antipatia” em relação a alguns protagonistas.

Portanto, os ministros foram jogados em terrenos da política partidária, com um ou outro formando grupos de decisão. O arremate emerge naturalmente na interlocução cotidiana: “esse é ligado a fulano, aquele a sicrano”.

A suspeição tem aumentado sob o fluxo do divisionismo político que recorta o país em bandas. E ainda em função da pressão da representação política para pôr um ponto final na Operação Lava Jato, que se apresenta como o inferno a aguardar o ingresso de novos visitantes. E, ao que se percebe, a continuidade dos processos estaria garantida sob imensa teia de apoio social e a disposição do futuro governo de estender, no que lhe compete, as tarefas de combate à corrupção política.

Outro fio do novelo é puxado pelo Poder Legislativo. Ao deixar solto um conjunto de dispositivos da CF de 88, sem legislação infraconstitucional, os congressistas abriram o espaço para a Suprema Corte agir. Não há vácuo no poder. Os ministros ocuparam os vazios que os parlamentares abriram.

A acusação de politização do Judiciário tem no Parlamento, portanto, sua principal fonte. Se uma questão chega ao Supremo – e não está regulamentada – Suas Excelências acabam dando sua interpretação. E os exageros tendem a aparecer, como as incursões de ministros no terreno das privatizações ou do indulto a presos, prerrogativa do Poder Executivo.

Os caminhos erráticos podem ser corrigidos? Sim. O STF não pode querer ser o protagonista central da cena institucional. Deveria se preservar. Adotar uma liturgia de poder com respeito aos valores e às virtudes da mais alta Corte: a moderação, a sabedoria, a discrição. A TV Justiça acaba sendo um espelho de vaidades.

Que o novo ciclo político a se abrir acolha com fervor a letra da nossa Constituição: independência, harmonia e autonomia dos Poderes.


Gaudêncio Torquato é jornalista, professor titular da USP e consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

Veja os destaques dos principais jornais de circulação nacional - 11 de Dezembro



O Globo          
Diplomado, Bolsonaro promete governar para todos
Em seu discurso na cerimônia de diplomação no TSE, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, prometeu governar “em benefício de todos os brasileiros”. Ele afirmou que foi eleito graças às “novas tecnologias”, por meio das redes sociais, e disse que “o poder popular não precisa mais de intermediação’’, após condenar “mentiras’’ e “manipulação ideológica”. A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, fez um pronunciamento forte em defesa dos direitos humanos e destacou que “a democracia repele a noção autoritária do pensamento único”. Ela também sublinhou a necessidade de não “suprimir ou abafar a opinião de grupos minoritários’’. 

Moro: depósitos têm que ser esclarecidos
Sergio Moro, que assumirá a pasta da Justiça, disse que as movimentações de R$ 1,2 milhão feitas por ex-assessor do deputado Flávio Bolsonaro, apontadas pelo Coaf, precisam ser esclarecidas. Moro afirmou que quer fortalecer o Coaf, responsável por mais de 30 mil relatórios na última década, que embasaram investigações contra políticos de vários partidos.        
 www.siqueiranews.com

O Estado de São Paulo
Delatores deixam de pagar R$ 422 milhões em multas
De R$ 1,3 bilhão de multas previstas nos acordos de delatores da Operação Lava Jato homologados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), R$ 422,9 milhões venceram e não foram pagos. Há ainda R$ 277,6 milhões a ser quitados, mas que estão dentro do prazo. No total, a Procuradoria-Geral da República (PGR) fechou acordo com 170 delatores na Lava Jato. A instituição não informou, até a noite de ontem, quantos estão “inadimplentes”. Desde março de 2014, os delatores já pagaram R$ 684,7 milhões em multas e R$ 163,6 milhões em confisco de bens. Desse total, no entanto, apenas R$ 280,7 milhões foram efetivamente devolvidos aos órgãos de onde foram desviados. O restante ainda aguarda medida administrativa para encaminhamento. “Não é mérito nenhum de ele (colaborador) entregar, é dever”, disse a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

‘Governarei em benefício de todos, sem distinção’
Como tem feito desde que foi eleito, Jair Bolsonaro adotou ontem tom conciliatório em discurso durante a sua diplomação e a de seu vice, general Hamilton Mourão, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele afirmou que governará em benefício de todos, “sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade ou religião”. Bolsonaro classificou como “inquebrantável” seu compromisso com “a soberania do voto popular”, elogiou o processo eleitoral – duramente criticado por ele durante a campanha presidencial – e exaltou o papel das redes sociais nas eleições, afirmando que o poder popular “não precisa mais de intermediação”. A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, discursou em defesa da proteção das minorias e dos direitos humanos e afirmou que a vontade da maioria não pode “abafar” a opinião de grupos minoritários. “A democracia (...) é também exercício constante de diálogo e de tolerância”, disse.

Folha de São Paulo      
População dispensa intermediários, diz presidente eleito
Diplomado presidente da República em cerimônia ontem no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Jair Bolsonaro fez discurso conciliatório, no qual disse que governará para todos e ressaltou que o poder popular “não precisa mais de intermediação”. “As eleições revelaram uma realidade distinta. As novas tecnologias permitiram relação direta entre eleitor e seus representantes.” Bolsonaro venceu com forte presença nas redes sociais e só oito segundos diários de propaganda eleitoral. “Serei presidente dos 210 milhões de brasileiros, governarei em benefício de todos, sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade ou religião”, declarou. Em quase 30 anos de vida pública, ele discursou contra minorias e renegou o papel da mulher na sociedade. Bolsonaro foi diplomado pela presidente do TSE, Rosa Weber, que defendeu em sua fala as minorias, os direitos humanos, a democracia e o papel da Justiça. “Os direitos fundamentais da pessoa humana, além de universais, são inexauríveis.” A ministra foi criticada por aliados do futuro presidente. Para a deputada eleita Joice Hasselmann (PSL-SP), ela foi deselegante.

João de Deus nega e repele acusações de abuso sexual 
A defesa de João de Deus disse que o médium recebeu com indignação a notícia de que é acusado de abuso sexual. Segundo a Promotoria, depoimentos de vítimas poderão ser provas suficientes para embasar investigação contra ele.
www.siqueiranews.com

Correio Braziliense       
Ministro do TSE fica de costas durante o hino e se explica a internautas
Uma foto do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga viralizou, nesta segunda-feira (10/12), porque o magistrado parecia ter ficado de costas durante a execução do Hino Nacional, na cerimônia de diplomação do presidente e vice-presidente eleitos Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão.  À mesa, estavam outros membros dos Três Poderes, todos virados para a plateia. Gonzaga era o único mirando o lado oposto. Nas redes sociais, muitos internautas questionaram e se surpreenderam com o ato do magistrado. Alguns acharam que o gesto foi "antipatriota" e criticaram o ministro. Por causa da repercussão, o TSE logo se manifestou sobre o ocorrido, ao responder uma internauta. A Justiça Eleitoral informou que o magistrado, na verdade, não estava "de costas" para o hino, mas sim "de frente" para a haste da bandeira, em sinal de respeito.  
 www.siqueiranews.com

O Dia
Força-tarefa do MP de Goiás recebe 40 denúncias sobre João de Deus
A força-tarefa do Ministério Público de Goiás – criada para investigar os casos de abuso sexual que teriam sido cometidos por João Teixeira de Faria, conhecido com médium João de Deus – recebeu, nesta segunda-feira, 40 contatos formais de mulheres que afirmam ter sido vítimas de abuso sexual. O MP e a Polícia Civil de Goiás começaram a agendar os depoimentos. No fim de semana já haviam sido registrados dois boletins de ocorrência contra o líder religioso, que faz seus atendimentos na cidade goiana de Abadiânia. As conversas informais ouvidas até o momento pelo Ministério Público de Goiás indicam que a investigação terá como ponto central o abuso sexual. Mas, além disso, será avaliada também a prática de outros crimes. Nem Ministério Público nem Polícia Civil informaram quais seriam os demais delitos.
 www.siqueiranews.com

Diário Catarinense
Equipe de Moisés divulga nome do novo secretário-adjunto de Saúde
O nome do futuro secretário-adjunto de Saúde, no governo de Carlos Moisés (PSL), foi divulgado na tarde desta segunda-feira (10). O médico emergencista André Motta Ribeiro é quem vai assumir o posto, a partir do dia 1º de janeiro de 2019. O anúncio aconteceu com a presença do futuro chefe da pasta, o também médico Helton de Souza Zeferino. Ribeiro é graduado em medicina pela Universidade de Santa Maria, do Rio Grande do Sul, e possui especializações em administração hospitalar, medicina de urgência e emergência, clínica médica e medicina de família e comunidade. 
.

segunda-feira, dezembro 10, 2018

Em diplomação, Bolsonaro diz que 'a soberania do voto popular é inquebrantável'


O presidente eleito Jair Bolsonaro foi diplomando na tarde desta segunda-feira (10-12-18) em cerimônia no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em um discurso sem improvisos, Bolsonaro abriu a fala agradecendo a Deus por estar vivo e defendeu o resultado das eleições e falou que o voto popular é irreversível.
"Senhoras e senhores, somos um das maiores democracias do mundo, 120 milhões de brasileiros compareceram às urnas de forma pacífica e ordeira, respondemos ao dever cívico do voto. Nós, brasileiros, devemos nos orgulhar dessa conquista. Em um momento de profunda incertezas em várias partes do globo, somos um exemplo de que a transformação pelo voto popular é possível. Este processo é irreversível. Somos o exemplo de que é o poder do voto. Nosso compromisso com a soberania do voto popular é inquebrantável", afirmou o presidente eleito.
Bolsonaro chegou em Brasília na tarde desta segunda-feira para participar à tarde da cerimônia de diplomação no TSE. A entrega do diploma oficializa o resultado eleição e dá direito ao eleito de assumir o mandato para o qual concorreu.
Em uma parte do discurso, Bolsonaro afirmou que o País vive um "novo tempo" e que a vontade popular "não precisa de intermediação".
"Vivenciamos um novo tempo. As eleições de outubro revelaram uma realidade distinta das práticas do passado. O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma relação direta entre o eleitor e seus representantes. Neste novo ambiente a crença da liberdade é a melhor garantia de respeito aos altos ideais que balizam nossa Constituição. Diferenças são inerentes a uma sociedade múltipla e complexa como a nossa, mas jamais devemos nos afastar dos ideais que nos unem: o amor à Pátria e o compromisso com a construção de um presente de paz".
Desde a vitória na eleição, em 28 de outubro, o presidente mantém o hábito de passar parte da semana na capital federal para reuniões com políticos, autoridades, futuros ministros e integrantes da equipe de transição.
Bolsonaro retomará nos próximos dias as negociações com as bancadas de partidos, iniciadas na semana passada. Segundo a assessoria do governo de transição, entre terça-feira, 11, e quarta-feira, 12, o presidente terá audiências com deputados do PSD, DEM, PSL, PP e PSB.