domingo, dezembro 16, 2018

Receio de falar sobre sexo prejudica vacinação contra HPV



Especialistas dos Estados Unidos da América (EUA) atribuem a baixa vacinação a uma série de fatores. A exigência de três doses é desajeitada. A vacina é para adolescentes, que apresentam menos probabilidade de visitarem um médico do que crianças pequenas.

Além disso, ela vem com um estigma. O HPV é uma infecção sexualmente transmissível e alguns pais temem que suas filhas vejam a conversa sobre a vacina como uma apologia ao sexo ou um sinal verde para começar a praticá-lo. Os profissionais de saúde dizem que ela deve ser administrada aos 11 anos, apesar de ser aprovada para crianças a partir de nove anos.



Finalmente, há o temor persistente que muitas pessoas têm de vacinações em geral. Um estudo da "Pediatrics" apontou que o medo de efeitos colaterais se tornou o segundo motivo mais citado pelos pais para não vacinarem, disse o médico Paul M. Darden, um dos autores do estudo e um professor de pediatria da Universidade do Oklahoma.



As taxas de vacinação contra o HPV variam dramaticamente de um Estado para outro. Segundo dados dos CDC de 2011, Rhode Island apresenta o mais alto, com 57% das garotas adolescentes plenamente vacinadas, seguido por Vermont e Dakota do Sul, ambos com 50%. Arkansas apresentou a taxa mais baixa, 15%, menos da metade da taxa nacional. Outros Estados com taxas baixas foram o Mississippi e Utah, com 20%, e o Kansas, com 22%.



O padrão de vacinação entre os grupos étnicos foi surpreendente. Apesar da menor probabilidade das meninas latinas virem de famílias com plano de saúde ou receberem atendimento médico regular, a probabilidade de elas serem vacinadas é muito maior do que as meninas brancas.


Apenas 48% das adolescentes brancas receberam a primeira dose da vacina, em comparação a 56% das negras e 65% das latinas, segundo os CDC. Mas a taxa cai acentuadamente na terceira dose. Ao todo, 42% das adolescentes latinas foram plenamente vacinadas. Aproximadamente um terço das meninas brancas receberam todas as três doses, proporção semelhante a das meninas negras.

Os dados viram do avesso o padrão típico dos brancos exibindo melhores resultados de saúde. "Eu não consigo me lembrar de uma vacina onde vimos um padrão como este", disse Walter A. Orenstein, diretor do Programa para Políticas de Vacinação e Desenvolvimento da Universidade Emory, que realizou o programa de imunização dos CDC por 16 anos.

Um motivo é dinheiro. Um programa de vacinação que cobre as vacinas para os pobres e carentes deu a vacina contra HPV para as clínicas de graça. A cobertura dos planos de saúde é menos confiável e muitos pacientes tiveram de dividir a conta ou pagar o preço integral da vacina, que geralmente chega a US$ 500 pelas três doses.

A nova lei de saúde obriga os planos de saúde a cobrirem a vacina, uma mudança que tem o potencial de eliminar a disparidade e aumentar a taxa de vacinação.

Há outros fatores sociais em ação. A médica Amanda F. Dempsey, uma professora associada de pediatria da Universidade do Colorado, em Denver, disse que, em sua clínica anterior em Michigan, os pais mais educados eram os mais relutantes em vacinar suas filhas. Para alguns, a hesitação vinha da suspeita deles de vacinas. Para outros, tinha mais a ver com o tema de sexo.

"A maioria diz: 'eu não quero essa vacina para minha filha'. Ao sondarmos mais a fundo, ou estava ligado a preocupações de segurança ou à questão do sexo", disse Dempsey.

Os pais brancos também "tinham a tendência de ter uma visão mais fantasiosa do comportamento de suas filhas", disse Rebecca B. Perkins, professora assistente de obstetrícia e ginecologia da Escola de Medicina da Universidade de Boston, citando uma pesquisa que será publicada no "The Journal of Healthcare for the Poor and Underserved".

Segundo Perkins, os pais que procuravam clínicas públicas eram os que mais provavelmente diziam: "Eu tentei ensinar o que é melhor para minha filha, mas prefiro me precaver".

Os que procuravam clínicas privadas apresentavam mais probabilidade de dizer: "Isto não é necessário", apesar do comportamento de ambos os grupos de adolescentes, segundo seus médicos, não ser diferente.

Diferenças culturais também exerceram um papel. Muitos latinos de origem estrangeira são de países onde os bebês ainda morrem de doenças que podem ser prevenidas com vacinas, como sarampo. Eles consideram as vacinas como sendo essenciais para a sobrevivência. Os pais nascidos nos Estados Unidos, por outro lado, são mais céticos em relação às vacinas, já que muitos não têm nenhuma lembrança das doenças letais que elas previnem.

Perkins descreveu um encontro típico com uma mãe latina. "Ela disse: 'No meu país, se um bebê não toma as vacinas, morre. Por que eu não faria isto?'."


Fonte: UOL
Tradutor: George El Khouri Andolfato




Festejado por corintianos em aeroporto, Carille exalta 'responsabilidade grande'


O técnico Fabio Carille desembarcou na noite de sábado (16-12-18) no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (na Grande São Paulo), onde foi festejado por torcedores do Corinthians que o aguardavam no local após o treinador deixar o Al-Wehda, da Arábia Saudita, para reassumir o comando do time alvinegro.
Enquanto ouvia os torcedores cantarem o seu nome, Carille concedeu uma rápida entrevista coletiva aos jornalistas que o aguardavam no saguão de desembarque do aeroporto, onde falou sobre como será voltar a dirigir a equipe que ele conduziu ao bicampeonato paulista, com os títulos de 2017 e 2018, no mesmo período em que também faturou o Brasileirão de forma surpreendente no ano passado.
"A responsabilidade é grande. Sei do tamanho de tudo isso por tudo que aconteceu neste um ano e meio como técnico do Corinthians, mas estou preparado junto com os atletas, diretoria e comissão para fazer um excelente ano", afirmou o recém-contratado comandante alvinegro, confiante em reeditar o sucesso de sua passagem anterior pelo clube do Parque São Jorge.
Carille também disse que as manifestações dos torcedores nas redes sociais, apoiando o seu retorno, "mexeram muito" com ele, que na próxima semana já vai iniciar os seu trabalho no clube. "Segunda-feira vou me reunir com a diretoria para traçar os planos do ano que vem".
A apresentação oficial ao Corinthians, porém, só deverá acontecer em 3 de janeiro, quando todo o elenco voltará de férias. Ele ficou à frente por sete meses do Al-Wehda e trará quase toda a sua comissão técnica de volta ao time paulista. Estão confirmados o auxiliar Leandro Silva, o observador técnico Mauro da Silva, o preparador físico Walmir Cruz e o analista de desempenho Denis Luup. A exceção será o preparador de goleiros Mauri Lima por não ter boa relação com o presidente Andrés Sanchez.

Já ao ser questionado sobre a montagem do elenco para a próxima temporada, Carille destacou que as dificuldades financeiras enfrentadas pelo Corinthians não permitem sonhar com a contratação de grandes craques. "A gente tem que ser bastante realista com a situação do clube, de não buscar estrelas, mas de buscar jogadores que têm o perfil do Corinthians", ressaltou.
 

Mega-Sena, concurso 2.107: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 48 milhões


Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.107 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (15-12-18) em Criciúma (SC). O prêmio acumulou.

Veja as dezenas sorteadas: 08 - 38 - 44 - 50 - 56 - 60.

A quina teve 72 apostas ganhadoras; cada uma levará R$ 46.944,97. Outras 5.454 apostas acertaram a quadra; cada uma receberá R$ 885,33.


O próximo sorteio será terça-feira (18-12-18). O prêmio é estimado em R$ 48 milhões.

Programa Mais Médicos recebe até este domingo inscrições para formados no exterior


O Ministério da Saúde prorrogou as inscrições de brasileiros e estrangeiros formados no exterior (sem registro no Brasil) para participação no Programa Mais Médicos. Os candidatos têm até este domingo (16-12-18) para enviar documentação à pasta. Segundo o ministério, a medida foi tomada após picos de instabilidade do site do programa.
O médico que iniciar o processo tem até 24 horas para finalizar o envio da documentação para validação da inscrição. Ao todo, são 17 documentos, entre eles, o de reconhecimento da instituição de ensino pela representação do país onde os profissionais obtiveram a formação.
Com o novo cronograma, os profissionais com registro (CRM) no Brasil também terão até 18 de dezembro para apresentação nas cidades selecionadas. O começo da atuação deve ser estabelecido junto ao gestor local. O último balanço do ministério aponta que 5.352 médicos compareceram nas localidades ou já iniciaram as atividades.

FHC lamenta 'pedras lançadas' antes mesmo de governo Bolsonaro assumir


Em manifestação neste sábado (15-12-18) nas redes sociais, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou lamentar as "pedras lançadas" contra o futuro governo de Jair Bolsonaro antes mesmo da posse e afirmou que, sem credibilidade, não será possível reconstruir o País.
"Diariamente há pessoas acusadas de corrupção ou mal uso de dinheiro público. Lamento que antes de começar o novo governo pedras sejam lançadas. É preciso verificar, antes de condenar, mas sem confiança e credibilidade impossível reconstruir o País, como a maioria do povo deseja", afirmou Fernando Henrique, pelo Twitter.
As "pedras lançadas" a que o ex-presidente se refere partiram do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que identificou e informou ao Ministério Público Federal (MPF) a "movimentação atípica" de R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017 em uma conta do então assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho mais velho do presidente eleito, Jair Bolsonaro.
O relatório apontou que uma das transações feitas pelo ex-assessor Fabrício José Carlos de Queiroz foi um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama, Michelle.


Jair Bolsonaro disse que o dinheiro foi um empréstimo para Queiroz. E Flávio afirmou que não fez nada de errado, nem é investigado, e acrescentou que as explicações cabem ao seu ex-assessor.

Brasil terá 2 vezes mais venezuelanos em 2019, diz ONU


O número de imigrantes da Venezuela no Brasil deve praticamente dobrar em 2019 e chegar a 190 mil pessoas. A ONU, autora do levantamento, teme que os venezuelanos enfrentem fome, falta de abrigo, violência e estima que o governo brasileiro precisará de US$ 56 bilhões em ajuda internacional para lidar com a crise.
"A região terá de responder, em algumas áreas, como se fosse um terremoto. Vivemos um terremoto humanitário", disse Eduardo Stein, representante especial da ONU para a crise na Venezuela. O fluxo, que era de 18 mil pessoas por dia em agosto entrando no Brasil, agora está em cerca de 5 mil. "É um movimento sem precedentes."

Esta é a primeira vez que a situação é classificada como "crise humana". A ONU estima que uma resposta custará no total US$ 736 milhões. Com o dinheiro solicitado, a ONU espera ajudar 2,2 milhões de venezuelanos.
Cerca de 500 mil cidadãos de países vizinhos também seriam beneficiados.
O ritmo do êxodo continuará crescendo em 2019, segundo a ONU. Até dezembro de 2019, mais 2 milhões de venezuelanos deixarão o país, elevando o êxodo para 5,3 milhões de pessoas. Destas, 3,6 milhões precisarão de ajuda, incluindo 460 mil crianças.
O país mais afetado será a Colômbia, com a expectativa de receber um total de 2,3 milhões de pessoas. Quase 1 milhão entrará apenas em 2019. Por isso, 43% dos recursos pretendidos pela ONU serão destinos para Bogotá. O Equador receberá 16% e o Peru, 14%.
Até o fim deste ano, 88,9 mil venezuelanos terão entrado no Brasil, diz a ONU. A partir de novembro, uma média de 400 a 500 pessoas passaram a cruzar a fronteira em direção ao País, "muitos em condições desesperadoras e precisando de ajuda humanitária urgente".
"Projeta-se que haverá cerca de 190 mil refugiados e imigrantes da Venezuela no Brasil ao final de 2019, incluindo 86 mil novas chegadas ao longo do ano", afirma a organização em seu plano.
A organização acredita que o Brasil precisará de ajuda. Para 2019, a ONU apela a doadores internacionais que enviem ao Brasil pelo menos US$ 56 milhões para atender ao fluxo de venezuelanos, além de reforçar saúde e escolas para cerca de 110 mil brasileiros na região de fronteira. O pacote inclui alimentos, material higiênico e água. Novos abrigos devem ser erguidos e programas serão criados para treinar funcionários públicos e acelerar o processo de registros.
Para a ONU, essa população não voltará tão cedo para a Venezuela. Estudos mostram que quando alguém foge de seu país não há um retorno em pelo menos três anos - isso se houver uma solução no país de origem. Por isso, os imigrantes precisam ser qualificados e integrar o mercado de trabalho local. O desafio do Brasil será a integração dos venezuelanos: 49% do dinheiro recolhido será destinado para promover a coexistência entre venezuelanos e populações locais e 28% irão para ajuda humanitária.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

16 mil candidatos participam neste domingo das provas objetivas do Processo Seletivo da Educação de Cuiabá


Cerca de 16 mil candidatos participam no próximo domingo (16) das provas objetivas do Processo Seletivo Simplificado para Contratação Temporária e Formação de Cadastro Reserva, da Secretaria Municipal de Educação de Cuiabá, para o ano letivo de 2019. Os candidatos devem acessar o link, www.selecom.org.br para ter acesso ao Cartão de Confirmação de Inscrição (CCI), onde estão informações sobre a prova e os 20 locais de sua realização.

A seleção constará de duas etapas, ambas de caráter eliminatório, sendo a primeira, a prova objetiva de conhecimentos (Básicos e Específicos), e a segunda, análise de títulos. O resultado final do Processo Seletivo Simplificado será a soma dos pontos obtidos nas duas etapas realizadas, com critérios de desempate elencados no Edital Nº 006/2018.

As provas serão aplicadas nos períodos da manhã e tarde. Das 9h às 11h, as provas objetivas para os cargos de nível superior e das 15h às 17h, para os cargos de nível médio e TDI (nível médio em Magistério e/ou superior em Pedagogia).

Os candidatos deverão comparecer ao local da prova, com uma hora de antecedência do seu início, munido de caneta esferográfica azul ou preta, de documento oficial de identificação, contendo fotografia e assinatura, e do Cartão de Confirmação de Inscrição. O não comparecimento no dia da aplicação da prova objetiva de conhecimentos acarretará na eliminação do candidato do Processo Seletivo.


No mesmo dia, a partir das 19 horas, a Selecon, organizadora do Processo Seletivo Simplificado, disponibilizará o gabarito da prova em seu site. O resultado final será divulgado no dia 28 de janeiro assim como o Edital de Convocação para a Admissão e Contratação dos candidatos aprovados.

Assessoria

sábado, dezembro 15, 2018

Ministério Público afirma que João de Deus já é considerado foragido


O Ministério Público (MP) do Estado de Goiás informou neste sábado (15-12-18), por nota, que João Teixeira de Faria, conhecido como médium João de Deus, já é considerado foragido. Segundo o MP, ele não foi encontrado em todos os endereços possíveis e o comparecimento espontâneo não ocorreu nas 24 horas seguintes à ordem de prisão.  
Dessa forma, acrescentou o MP estadual, João de Deus pode ser preso por qualquer autoridade policial brasileira ou estrangeira, com auxílio da Interpol, caso saia do país.
Segundo o Ministério Público, a condição de foragido se estabelece mesmo com a negociação entre os advogados do médium e as autoridades. João de Deus já foi alvo de mais de 300 denúncias de abuso sexual. Sua prisão foi decretada ontem (sexta-feira 14-12-18) pela Justiça de Goiás. 
Na manhã deste sábado, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás afirmou que não havia prazo determinado para considerar o médium foragido. As buscas estão sob responsabilidade da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil de Goiás.

As denúncias contra João de Deus começaram a vir a público na sexta-feira (07-12-18) quando a mídia divulgou as primeiras denúncias de abuso sexual. A partir daí, outras mulheres que afirmam ser vítimas do médium começaram a procurar as autoridades e a imprensa.

Quando é a mulher que propõe sexo?

A questão da semana é o caso do internauta que assediava uma mulher, mas quando ela propôs sexo fugiu. Isso não é raro acontecer. Mulher tomar a iniciativa da proposta sexual? “Ah!, não, isso já é demais!”, é o que pensam muitos homens.
Eles ficam assustados só de se imaginar nessa situação. Têm medo de não saber como agir nem o que dizer. E o pior: pode falhar a ereção. Afinal, o papel de conquistador é o único que o homem conhece, e fora dele não dá para se sentir à vontade. Desde menino ele foi treinando para isso e, para complicar ainda mais, acreditou que faz parte da natureza masculina ser ativo e da feminina, a passividade. Mas é inegável que, apesar de tantos equívocos e limitações, ele antes vivia bem menos ansioso nessa área do que agora.
O papel que homem e mulher desempenhavam no sexo sempre teve regras claramente estabelecidas. Fazia parte do jogo de sedução e conquista o homem insistir na proposta sexual e a mulher recusar. Contudo, ele apostava no seu sucesso e para isso não media esforços. Quanto mais ela recusava mais ele insistia e mais emocionante o jogo se tornava. Só para ele, claro.
Para a mulher era um tormento. Além de toda a culpa que carregava por estar permitindo intimidade a um homem, seu desejo era desconsiderado, assim como seu prazer. Como usufruir daquele encontro? Não podia relaxar um segundo. Ela sabia que, se não se controlasse, seria logo descartada e ainda por cima rotulada de fácil.
Mas o homem continuava insistindo, e ela dizendo não. Ele nem a percebia, o importante era chegar ao final. Jogo cruel para ambos, é verdade. Aprisionados à moral anti-sexual, nenhum dos dois tinha a menor chance de experimentar o prazer proporcionado pela troca de sensações eróticas. Se em algum momento a mulher cedesse, pronto. O homem se apaziguava com a confirmação da única coisa que buscava desde o início: se sentir competente e se afirmar como macho.
Entretanto, quando a mulher resistia às investidas, a autoestima dele não era abalada. Ele se apoiava na convicção de que o motivo da recusa se devia exclusivamente a ela ser uma mulher direita, de família. Assim, imune à preocupação de ter sido rejeitado por não agradar à parceira, continuava se sentindo poderoso e absoluto.
Toda essa encenação nos permite entender por que, até hoje, muitas mulheres se esquivam do sexo. Temendo ser usadas — e durante muito tempo foram mesmo —, se queixam com frases do tipo: “Os homens só querem sexo”, o que à primeira vista poderia soar estranho, já que ninguém duvida de que sexo é bom.
Agora as coisas mudaram. As mulheres dão sinais de não estarem nem um pouco dispostas a continuar se prestando a esse papel. Não querem apenas se mostrar belas e esperar passivamente que os homens se sintam atraídos e tomem a iniciativa. Isso está aos poucos se tornando coisa do passado. Mas como o homem vai resolver essa questão? Como vai se adaptar a essa nova realidade? O machão está em baixa, e a mulher busca homens que se relacionem com ela em nível de igualdade em tudo, também no sexo.
A situação do homem é bem complicada. Além de ser difícil de aceitar a igualdade com a mulher, o temor de ser avaliado e comparado a outros homens gera insegurança. Sem contar que outras preocupações, nunca antes sentidas, estão agora presentes o tempo todo: ter o pênis pequeno ou fino, a ejaculação precoce, não obter ereção no momento desejado, não proporcionar orgasmo à mulher. Muitos homens continuam procurando mulheres recatadas e passivas, acreditando estar assim mais garantidos. O problema é que em pouco tempo se sentem insatisfeitos.
Com a liberação dos costumes e todas as informações que são oferecidas, não dá mais para ignorar as muitas possibilidades de prazer sexual que um ser humano pode experimentar. Somente pessoas livres, que gostam de sexo e não têm preconceitos, estão em condições de compartilhar dessas descobertas com o parceiro. Esses conflitos só vão ser resolvidos quando o sexo for aceito como algo bom, natural, que faz parte da vida. E não se precisar mais atribuir a ele motivos que não lhe são próprios.
Regina Navarro Lins
Blog da Regina


José Borges recebe 139 indicações e vence concorrente por um voto de diferença para comandar o Ministério Público


O promotor de Justiça, José Antonio Borges Pereira, recebeu o aval de 139 votantes e , conquistou o 1º lugar na lista que será encaminhada ao governador eleito Mauro Mendes (DEM) para escolha do chefe do Ministério Público, para os próximos 2 anos. O MP tem um orçamento de R$ 460 milhões por ano.

José Antônio Borges, 53 anos, atua na Promotoria de Justiça de Defesa da Criança e do Adolescente de Cuiabá.

O passo seguinte, segundo o presidente da Comissão Eleitoral, procurador de Justiça João Augusto Veras Gadelha, será o encaminhamento da lista ao Colégio de Procuradores de Justiça para a devida homologação. A reunião deverá ocorrer  na próxima segunda-feira (17-12-18).

O segundo colocado, promotor de Justiça e atual procurador-geral de Justiça, Mauro Benedito Pouso Curvo, recebeu 138 votos.


José Antônio Borges era oposição ao grupo de Paulo Prado que tem comandado o Ministério Público há 14 anos. Com a diferença de apenas 1 voto, ele surpreendeu quem acreditava que o escolhido seria o atual chefe do órgão, Mauro Curvo.

Restrição ao direito de defesa é 'assombrosa', dizem advogados de João de Deus


Os advogados de João de Deus, 76, que é procurado pela polícia desde o início da tarde de sexta-feira (14-12-18), disseram que o decreto de prisão preventiva autorizado pela Justiça é injusto e ilegal.

A equipe de defesa do médium afirmou que "apenas alguns depoimentos, de poucas vítimas" acompanham o pedido de prisão preventiva, sem nomes. Informa ainda que vai entrar com pedido de habeas corpus porque considera a decisão "ilegal e injusta", mas que isso não exclui a apresentação espontânea de João de Deus.

O advogado Thales Jayme (foto), da equipe, diz que o médium pode se entregar ainda na noite desta sexta.

João de Deus é suspeito de ter cometido abuso sexual contra uma centena de mulheres ao longo dos últimos 30 anos. Ele ainda não foi localizado pela polícia. Foram feitas buscas nos endereços dele em Anápolis, Goiânia e Abadiânia, além de fazendas.

Os advogados dizem que estão travando uma batalha na Justiça para terem acesso às centenas de denúncias de mulheres que alegaram à Promotoria terem sido vítimas de abuso sexual cometido por João nas instalações da casa de curas Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia (GO).

"Na última segunda (10), estivemos no Ministério Público, em Goiânia, para obter cópias dos depoimentos prestados pelas vítimas e amplamente noticiados pela imprensa", segundo trecho de nota.

Segundo eles, a visita não obteve êxito. "O pedido [para acessar o conteúdo das denúncias] foi negado sob o argumento da preservação de sigilo."

Indea confirma caso de raiva em bovinos em Alta Floresta


A unidade do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) de Alta Floresta (803 km ao norte de Cuiabá), recebeu no dia 7 de dezembro uma notificação de possível doença nervosa em um bezerro recém-nascido, com pouco mais de 30 dias de vida. No mesmo dia, a equipe realizou a visita na propriedade, coletou material para exame e encaminhou para análise no Laboratório de Apoio à Saúde Animal.    

a segunda-feira (10-12-18), com a confirmação laboratorial de raiva, os animais da propriedade, 1.048 bovinos e quatro equinos, foram vacinados contra a doença. Equipes do Indea estão visitando cerca de 200 propriedades localizadas num raio de 12 quilômetros do local onde foi registrado o foco. Os bovinos e equídeos dessas propriedades também devem ser vacinados contra a raiva.   

As equipes também iniciaram o trabalho de captura de morcegos hematófagos, principal transmissor da raiva dos herbívoros, para reforçar o controle da doença na região.   Em 2016 foram registrados 35 focos de raiva em Mato Grosso. No ano de 2017 46 focos. E em 2018, contabilizando com este último, somam 21 focos.   

A raiva dos herbívoros é uma doença causada por um vírus da família Rhabdoviridae, gênero Lyssavirus, sempre fatal. Acomete todos os mamíferos domésticos e silvestres. É uma zoonose, portanto, pode acometer o homem. O principal transmissor da raiva é o morcego hematófago (vampiro). O morcego doente elimina o vírus pela saliva quando se alimenta do sangue dos animais.   

É Importante que o produtor observe diariamente, pela manhã, se os animais apresentam mordedura. Caso tenham sinais de modedura, informar ao Indea e solicitar o controle dos morcegos. O atendimento é gratuito.

É importante que os produtores fiquem atentos aos sintomas da raiva no animal, que pode apresentar apatia, isolamento do restante do rebanho, agressividade, andar cambaleante, opacidade de córnea, dificuldade para engolir líquidos, dificuldade de defecar (fezes ressecadas), e paralisia dos membros. Ao se deparar com esse quadro deve-se procurar uma unidade local do Indea.   


Ao vacinar o rebanho contra a raiva, é importante que o produtor comunique ao Indea. E em caso de suspeita de um animal acometido pela doença é necessário tomar algumas medidas, como informar imediatamente o Indea do seu município ou notificar pelo telefone 0800 65 3015, nunca manipular o animal, isolar o animal do restante do rebanho. No caso de mordedura no homem ou contato com animais suspeitos, lavar o ferimento com água e sabão, e procurar o Serviço de Saúde imediatamente.  

Assessoria